A Competição Latino-Americana abriga títulos da Argentina, Brasil, Colômbia, México, Peru e Venezuela, em um total de 24 obras. Os filmes concorrem a "Melhor Longa-Metragem Pelo Júri" - com prêmio de R$ 15.000,00; "Melhor Curta-Metragem Pelo Júri" - com prêmio de R$ 5.000,00, e "Melhor Filme Pelo Público".

Competição Curta-Metragem

de Marcio Miranda Perez

Em sua sexta edição, a Competição Latino-Americana rompe mais uma vez o seu recorde de inscrições. Este ano, 455 obras de 17 países latino-americanos vieram contribuir para uma seleção bastante ampla, que destaca problemáticas socioambientais urgentes do continente, assim como olhares imersivos sobre temas e locais os mais diversos e desconhecidos dos grandes centros.

Leia o texto na íntegra sobre os filmes dessa temática!

Filmes

Júri

Lina Chamie

Dirigiu os longas Tônica Dominante (2001), que lhe rendeu, entre outros prêmios, o Kodak Vision Award/WIF, em Los Angeles, e o prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA); A Via Láctea (2007), com estreia mundial no Festival de Cannes; Santos 100 Anos de Futebol Arte (2012), filme oficial do centenário do Santos FC; São Silvestre (2013), que obteve o Prêmio APCA de Melhor Documentário; Os Amigos (2014) e Dorina - Olhar para o Mundo (2016). Santos de Todos os Gols (2019) é seu sétimo e mais recente longa-metragem. É graduada e mestre em música e filosofia pela New York University.

Heitor Augusto

Crítico de cinema, curador, professor e tradutor. Curador da mostra Cinema Negro: Capítulos de uma História Fragmentada (2018) e um dos curadores do Festival de Brasília (2017-18). Ministra oficinas sob as perspectivas dos subalternizados, além de cursos livres de história do cinema com ênfase em períodos, autores e recortes sub-representados. Mantém o site Urso de Lata (www.ursodelata.com), no qual exercita uma escrita que habita as intersecções entre estética, raça e política.

Tadeu Jungle

Roteirista e diretor de cinema, TV e Realidade Virtual, é um dos precursores da videoarte no país. Escreveu para vários jornais e revistas sobre vídeo e televisão. Apresentou e dirigiu programas para a TV Globo, Cultura e Band e mais de 500 filmes publicitários. Dirigiu séries, filmes documentais e o longa Amanhã Nunca Mais, com Lázaro Ramos. Realizou videoinstalações para o Museu do Futebol e o Museu do Amanhã. Sócio-fundador da produtora de VR Junglebee, fez uma trilogia de filmes de impacto social: Rio de Lama, sobre os sobreviventes da tragédia ambiental de Mariana; Fogo na Floresta, que retrata o drama das queimadas junto ao povo Waurá, no Xingu, e Ocupação Mauá, sobre um edifício de São Paulo gerido por sem-tetos. O livro Videofotopoesia retrata seus 30 anos de atividades artísticas.