Tecnologia

Inteligência Artificial e Controle Social

De volta pela segunda vez, o programa da temática Tecnologia nos convida a nos aprofundarmos nessa nova realidade que nos coloca diante de tecnologias como IA (Inteligência Artificial) e a internet, com suas redes sociais. Juntas, poderão elas formar uma das armas mais formidáveis de controle social já vistas?

O documentário norte-americano Coded Bias, revela uma descoberta perturbadora feita por uma pesquisadora do MIT Media Lab, um dos maiores centros de pesquisa sobre tecnologia do mundo.

O longa-metragem será disponibilizado na própria página do filme (link acima), no site da Ecofalante, a partir das 15h00 de terça-feira, 31 de agosto, até as 15h00 de sexta-feira, 3 de setembro

O acesso gratuito será liberado em dois períodos (o primeiro, anunciado acima, e num segundo momento, das 15h00 de quinta-feira, 9 de setembro até as 15h00 de sábado, 11 de setembro). O botão ASSISTIR AO FILME surgirá na página do filme quando estiver disponível.

Para saber mais sobre a programação, siga as redes sociais da Mostra Ecofalante (Facebook e Instagram) e baixe o folder interativo aqui.


SOBRE O DEBATE:

Na quarta-feira, 1 de setembro, às 19h00, nossos convidados debatem sobre o tema “Inteligência Artificial e Controle Social”.

Já é possível ativar o lembrete do debate aqui (YouTube).

Para a discussão, contaremos com os seguintes convidados:

Amanda Lemos (Mediadora)

Repórter desde 2018, escreve sobre tecnologia, cibersegurança e economia na Folha de S.Paulo​.

Silvana Bahia (Debatedora)

Silvana Bahia é codiretora executiva do Olabi, coordenadora da PretaLab - iniciativa de estímulo às mulheres negras nas tecnologias e inovação. É Mestre em cultura e territorialidades pela UFF, pesquisadora associada do grupo de arte e Inteligência Artificial da USP e do grupo de pesquisa em Políticas e Economia da Informação e Comunicação da UFRJ. Recebeu o prêmio Destaques da Cultura Digital: Inovação Social e Tecnologia, concedido pelo Centro Cultural Banco do Brasil e Programa Avançado de Cultura Contemporânea da UFRJ de 2017. Faz parte dos conselhos das organizações Gênero e Número, Coding Rights, Datalabe, Mulheres Negras Decidem, Instituto Museu Itamar Assumpção, Instituto Coca-cola, Programadores do Amanhã, Instituto Solar dos Abacaxis e do Conselho Científico do Museu do Amanhã.

Fernanda Bruno (Debatedora)

Fernanda Bruno é professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura e do Instituto de Psicologia da UFRJ. É coordenadora do MediaLab.UFRJ, pesquisadora do CNPq e membro-fundadora da Rede latino-americana de estudos em vigilância, tecnologia e sociedade/LAVITS. Foi pesquisadora visitante na Sciences Po, Paris (2010-2011) e no Departamento de Humanidades Digitais do King's College, Londres (2019-2020). Atualmente, é pesquisadora colaboradora do Surveillance Studies Centre da Queens University, Canadá. Entre os seus livros recentes, estão: Máquinas de ver, modos de ser: vigilância, tecnologia e subjetividade (Sulina, 2013) e Tecnopolíticas da Vigilância: perspectivas da margem (2018, Boitempo). É co-editora da Revista DR.

Cecília Olliveira (Debatedora)

Cecília Olliveira é jornalista investigativa dedicada à cobertura do tráfico de drogas e de armas e à violência. Em 2016, frustrada com a falta de dados publicamente disponíveis, ela começou a mapear os tiroteios no Rio de Janeiro. Essa ideia se transformou no Fogo Cruzado, hoje um Instituto que usa tecnologia para produzir e divulgar dados abertos e colaborativos sobre violência armada. Hoje o FC está se espalhando por todas as grandes cidades do Brasil. Ela foi a única finalista latino-americana do Prêmio Repórteres Sem Fronteiras para a Imprensa de 2020, que celebra vozes intrépidas e corajosas na mídia global.