A 8ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental organiza sua programação em diversos programas: o Panorama Histórico: A Crise das Utopias e o Cinema Militante Pós-68, com obras assinadas por grande diretores do cinema mundial como Agnès Varda, Michelangelo Antonioni, Glauber Rocha e Chris Marker, uma seleção inédita que reflete sobre o mundo e a sociedade que se seguiram à grande efervescência cultural dos anos 1960; a Homenagem: Silvio Tendler; o Panorama Internacional Contemporâneo que, dividido nas temáticas Cidades, Economia, Povos & Lugares, Recursos Naturais, Saúde, Sociobiodiversidade e Trabalho, apresenta os mais novos filmes dos principais festivais de cinema e documentário do mundo; a Experiência Sensorial: Realidade Virtual, que traz dois curtas em VR que criam experiências distintas para o expectador: um chamado à ação contra o desmatamento da Amazônia e uma viagem a um mundo mágico e surpreendente; Brasil Manifesto, uma nova mostra que estreia nesta edição, com um conjunto de filmes que constroem um retrato denso e agudo do Brasil, voltando seu olhar para questões primordiais que abarcam nossas identidades e nossa história; a Competição Latino-Americana que premia os melhores filmes ambientais latino-americanos; o Concurso Curta Ecofalante que incentiva produções universitárias, de cursos técnicos e livres de Cinema; a Sessão Infantil, um conjunto de curtas-metragens que introduzem de maneira lúdica questões socioambientais contemporâneas ao repertório de jovens e crianças, e a Mostra Escola e o Programa Ecofalante Universidades que levam filmes e debates para dentro do ambiente de ensino.