Entre os dias 27 de novembro e 01 de dezembro de 2023, a Ecofalante e o Centro de Pesquisa e Formação do Sesc realizam de forma online o Seminário de Cinema e Educação.

Em sua quarta edição, o evento se propõe pensar estratégias pedagógicas que partem do cinema em sala de aula com vistas a promover uma educação digital de viés crítico, inclusivo e emancipatório.

Leia o texto na íntegra sobre o evento!

19:30 Abertura do evento - Ecofalante e Sesc online (via zoom)
19:45 Masterclass : Curadoria audiovisual educativa e multiletramentos no mundo digital com Ana Paula Nunes Flavia Guerra (Mediação) online (via zoom)

Mesa - A importância do letramento digital para a formação cidadã e o cinema como aliado

Nessa mesa, discutiremos o que é letramento digital afinal e em que sentido o recurso a processos pedagógicos emancipatórios, como o cinema na escola, pode fomentar o protagonismo e a abertura necessários à compreensão de um mundo cada vez mais complexo em suas dinâmicas.

Fábio José Paz da Rosa

Coordenador do curso de Pedagogia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação, Demandas Populares e Contextos Contemporâneos (PPGEDUC/UFRRJ). Doutor em Educação pela UFRJ. Avaliador nacional dos cursos de Pedagogia - INEP - MEC.

Ludmila Moreira Macedo de Carvalho

Professora do Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e coordena, desde 2018, o projeto Cinececult – Laboratório de Apreciação e Análise do Audiovisual, onde desenvolve ações de ensino, pesquisa e extensão em cinema e educação.

Francisco Tupy

Doutor pela ECA-USP com pesquisas em Videogame, Comunicação e Educação. Autor de livros, desenvolvedor de jogos e mundos virtuais.

Silene Lourenço

Licenciatura em História, Mestrado em Comunicação. Especialização em Educação Socioambiental e Sustentabilidade em andamento (Umapaz/ Unifesp). Longa experiência como professora do Ensino Fundamental, Médio e Superior da Rede Pública e Particular de Ensino.

Mesa - O Programa Nacional de Educação Digital (Lei 14533/23) e o que o cinema na escola tem a ver com isso

Em janeiro de 2023, foi sancionada a Lei 14533/23, que institui o Programa Nacional de Educação Digital. Mas afinal, como essa lei vai impactar, na prática, o cotidiano escolar e quais os desafios para implementá-la? De que maneira a prática pedagógica do cinema em sala de aula está abrangida por essa lei?

Clarisse Alvarenga

É cineasta, pesquisadora e professora na Faculdade de Educação da UFMG, onde coordena o Laboratório de Práticas Audiovisuais (LAPA) e o Laboratório e Arquivo de Imagem e Som (LAIS). Sua pesquisa envolve processos de criação realizados com coletivos e cineastas ameríndios e do campo. Entre os filmes que dirigiu, estão os longas-metragens Ô, de casa! (2007) e Homem-peixe (2017). É autora dos livros Da cena do contato ao inacabamento da história (Edufba, 2017) e Aprender com imagens (LAPA, 2022). Em 2016, sua tese de doutorado foi agraciada com o prêmio Eduardo Peñuela Cañizal de Melhor Tese, concedido pela Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação Social (Compós). Atualmente, integra a coordenação da Rede Kino - Rede Latino-Americana de Educação Cinema e Audiovisual (gestão 2022-2024).

Dagmar Mello e Silva

Graduada em Psicologia com Mestrado em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Doutorado em Educação e Pós-Doutorado em Filosofia da Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Professora da Faculdade de Educação e dos Programas de Pós-Graduação em Ciências, Tecnologias e Inclusão e de Educação da UFF.

Monica Fantin

Professora Titular do Centro de Educação da Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC. Atua no Departamento de Metodologia de Ensino e no Programa de Pós-Graduação em Educação. Líder do Grupo de Pesquisa Núcleo Infância, Comunicação, Cultura e Arte, NICA, UFSC/CNPq.

Priscila Rangel

Jornalista, atriz e roteirista. Apresentou programas de TV como o "Cine Resenha" e o "Cine Nacional", na TV Brasil e o "Falas da Educação", no Canal Educação.

Mesa - O papel da curadoria: que conteúdos mostrar e como?

A curadoria consiste em conceber e organizar um percurso através das obras, levando em consideração o público com o qual se fala ou se quer falar. De que maneira uma curadoria de filmes pode ser pensada de forma a potencializar a promoção e a assimilação de valores que estão na base da vida coletiva?

Felipe Leal Barquete

É mestre em educação (UFPB/PB), graduado em Imagem e Som (UFSCar/SP). Desde 2005, trabalha na área de educação, cinema e audiovisual, com práticas educativas nas escolas, promoção de cineclubes, mostras e festivais, e na formação de coletivos de criação cinematográfica.

Beth Carmona

Consultora, produtora executiva e gestora de projetos audiovisuais infanto-juvenis. Fundadora e presidente do Midiativa, Centro Brasileiro de Mídia para Crianças e Adolescentes e diretora dos Festivais comKids e Science Film Brasil.

Karine Joulie Martins

Bacharel em Cinema (UFSC), Mestre e Doutora em Educação (PPGE/UFSC). É membro do Núcleo Infância, Comunicação, Cultura e Arte (NICA, UFSC) e do grupo Cinema para Aprender e Desaprender (CINEAD/LECAV, UFRJ). Atua no desenvolvimento de projetos de formação, além da curadoria, programação e mediação de mostras de cinema e cineclubes.

Palestra de encerramento - O audiovisual e a educação: uma ferramenta para potencializar a comunicação

Cao Hambuger tem vasta experiência na produção de conteúdo audiovisual infanto-juvenil, tendo criado e dirigido o programa “Castelo Rá-Tim-Bum”, que estreou na TV Cultura no ano de 1994. No cinema, dirigiu “Castelo Rá-Tim-Bum – O Filme” (1999) e “O Ano em que meus pais saíram de férias” (2006). Venceu duas vezes o Emmy Internacional. Dentre seus projetos mais recentes está a direção da série “As Five” (Globoplay). Nessa palestra, ele discute de que maneira e sob que aspectos os filmes podem ser trabalhados em sala de aula.

Cao Hamburger

Cineasta, produtor, roteirista e diretor de televisão, entre seus maiores sucessos está o programa “Castelo Rá-Tim-Bum”, que estreou na TV Cultura no ano de 1994. No cinema, dirigiu “Castelo Rá-Tim-Bum – O Filme” (1999) e "O Ano em que meus pais saíram de férias" (2006). Venceu duas vezes o Emmy Internacional. Dentre seus projetos mais recentes está a direção da série "As Five" (Globoplay).

Flavia Guerra

É documentarista e jornalista. Editora do TelaTela (@telatelablog), especializado em cinema e TV; apresenta o podcast “Plano Geral”, com Thiago Stivaletti; é colunista de cinema da @radiobandnewsfm e tem vasta experiência na cobertura de grandes festivais de cinema.