Especial Xingu 60 Anos

Abertura do Especial Xingu 60 Anos

Venham celebrar conosco a Cerimônia de Abertura do Especial Xingu 60 Anos!

Quarta-feira, 1 de dezembro às 19h00 (horário de Brasília) no canal da Mostra Ecofalante no Youtube. Nos vemos lá!

A seguir, assista ao filme de abertura, Raoni  (Bélgica, França, Brasil, 1978, 84'), a partir das 20h00.

Para acompanhar a programação diária, siga as redes sociais da Mostra Ecofalante (Facebook e Instagram).

A cerimônia de abertura contará com os seguintes convidados:
Flavia Guerra (Apresentadora)

Flavia Guerra é documentarista e jornalista. É editora do TelaTela (@telatelablog), especializado em cinema e TV; apresenta o podcast “ Plano Geral”, com Thiago Stivaletti; é colunista de cinema da @radiobandnewsfm e, em 2019, cobriu os grandes festivais internacionais de cinema para o Canal Brasil.

Chico Guariba (Diretor da Mostra)

Fundador da Ecofalante e idealizador da Mostra Ecofalante. É economista e documentarista, e atua há mais de 30 anos nas áreas de comunicação, educação, meio ambiente e políticas públicas.

José Mauro Gnaspini (Convidado)

Atual Diretor de Arte e Cultura da organização social Amigos da Arte. É artista, advogado, curador e consultor, tem mestrado em Cinema pela ECA-USP e doutorado em Direito pelo Largo São Francisco.

André Villas-Bôas (Convidado)

Indigenista formado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), atuou na Fundação Nacional do Índio (FUNAI), posteriormente no Ministério da Reforma Agrária e no CEDI (Centro Ecumênico de Documentação e Informação) como Coordenador de Programas para Povos Indígenas. Hoje é diretor do Instituto Socioambiental (ISA).

Takumã Kuikuro (Convidado)

É cineasta, membro da aldeia indígena Kuikuro, e atualmente vive na aldeia Ipatse, no Parque Indígena do Xingu. Dirigiu o documentário As hiper mulheres (2011), junto a Leonardo Sette e Carlos Fausto. Teve filmes premiados em festivais como os de Gramado e Brasília, e no Presence Autochtone de Terres em Vues, em Montréal. Em 2017, recebeu o prêmio honorário Bolsista da Queen Mary University London. E foi, em 2019, o primeiro jurado indígena do Festival de Cinema Brasileiro de Brasília.

Pedro Novaes (Convidado)

Pedro Novaes é diretor, produtor e sócio da Sertão Filmes, produtora de Goiânia. Dirigiu os longas Cartas do Kuluene e Alaska e é um dos produtores e diretores da série documental Doçaria Brasileira. Produziu também os longas Hotel Mundial e A Última Imagem, além da série Xingu - A Terra Ameaçada e do documentário televisivo The Grammar of Happiness, para a ABC Austrália e o Canal Arte France. Coordena também o projeto F+E - Formação de Empreendedores Audiovisuais. Seu trabalho mais recente é o documentário Me-Krukodjo-Tum - O Conhecimento dos Antigos, sobre o povo indígena Xikrin do Cateté.

Frederico Mael (Convidado)

Advogado e Historiador. É bacharel em Direito, especialista em Direito Civil e Processo Civil, licenciado e mestre em História pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás. No mestrado, foi bolsista pesquisador da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (FAPEG) e na licenciatura foi bolsista de iniciação científica pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ). Atualmente advoga na área cível e trabalha no Instituto Goiano de Pré-história e Antropologia do IGPA/PUC Goiás.

Veronique Ballot (Convidada)

Socióloga de formação em São Paulo, professora de Biotecnologia, Saúde e Meio Ambiente na Educação Nacional Francesa em Paris e na Martinica. Organizadora do festival de filmes brasileiros na Martinica. Criadora da Associação Henri Ballot em Paris. Em 2019, lançou o seu primeiro longa documentário, O Segundo Encontro.

Aurélio Michiles (Convidado)

Aurélio Michiles é cineasta e documentarista. Iniciada nos anos 1980, sua obra em filme e televisão tem como foco a região e os povos amazônicos. Cursou o Instituto de Artes e Arquitetura da UnB, em 1973; e Artes Cênicas na Escola de Artes Visuais, Parque Lage, no Rio de Janeiro, entre 1977 e 1978. Dirigiu filmes premiados, como O cineasta da selva (1997), Que viva Glauber (1991), Teatro Amazonas (2002) e Lina Bo Bardi (1993). O seu filme mais recente Os Segredos de Putumayo, de 2020, ganhou Menção Honrosa no Festival É Tudo Verdade.

Kamikia Kisêdjê (Convidado)

Kamikia é do povo Kisêdjê, da TI Wawi, na região leste do TIX (Território Indígena do Xingu). Formado pelo projeto Vídeo nas Aldeias, escola de cinema para os povos indígenas do Brasil, acompanha e registra em áudio e vídeo as lutas dos povos indígenas do TIX desde o ano 2000. Seu curta mais recente, Topawa, ganhou Menção Honrosa na Competição Latino Americana da Mostra Ecofalante.

Lúcio Kodato (Convidado)

Lúcio Kodato é diretor de fotografia. Com uma carreira de mais de 40 anos, já atuou ao lado do famoso diretor francês de fotografia Philippe Rousselot e recebeu diversos prêmios, entre eles o de Melhor Fotografia no Festival do Rio, por seu trabalho “Maré”, dirigido por Lúcia Murat. Além do cinema, fotografou filmes publicitários e videoclipes premiados. É frequente colaborador do cineasta Silvio Tendler.

Nilson 'Bhig' Villas-Bôas (Convidado)

Curta-metragista e documentarista premiado em festivais como Havana e Brasília, dirigiu, entre outros os filmes: Frio na Barriga (1987), A Mulher do Atirador de Facas (1988), o documentário oficial da ECO 92 Amazônia Viva. O Último Kuarup Branco é de 2007.

Kamatxi Ikpeng (Convidado)

Meu nome é Kamatxi Ikpeng, do povo Ikpeng. Fui formado pelo projeto Video nas Aldeias e Instituto Catitu. Trabalho como fotógrafo e cineasta. Tenho como objetivo produzir, publicar, distribuir vídeos e fotos, com foco na educação, saúde, fortalecimento cultural, defesa da causa indígena e do meio ambiente. Fui realizador no filme Para Onde Foram as Andorinhas? em 2015, sobre as mudanças climáticas e como isso afeta as vidas dos Ikpeng agora e no futuro. A minha produção mais recente é Yarang Mamin - Movimento das Mulheres Yarang (2019).