Cerimônias

Abertura da 9ª Mostra Ecofalante

Venham celebrar conosco a Cerimônia de Abertura da 9ª Mostra Ecofalante de Cinema!

Quarta-feira, 12 de agosto, às 19h00 nas páginas do Facebook e YouTube da Mostra Ecofalante. Já é possível ativar o lembrete da live da cerimônia nos links acima.

Para ver a programação completa do evento, baixe aqui o nosso folder interativo.

Contaremos com os seguintes convidados:
Chico Guariba (Diretor da Mostra Ecofalante)

Fundador da Ecofalante e idealizador da Mostra Ecofalante. É economista e documentarista, e atua há mais de 30 anos nas áreas de comunicação, educação, meio ambiente e políticas públicas.

Laís Bodanzky (Presidente da Spcine)

É diretora, produtora e roteirista (Bicho de sete cabeças; Como nossos pais). Durante 15 anos coordenou os projetos sociais Tela Brasil de ensino e exibição de filmes nas periferias do Brasil, fomentando a indústria de cinema em seu país e levando mais de um milhão de pessoas às salas de cinema, a maioria indo pela primeira vez. Desde 2019, é presidente do Spcine, empresa municipal de fomento ao audiovisual da cidade de São Paulo.

Francisco Cesar Filho (Apresentador e Curador)

Cineasta, curador, diretor de televisão e dirigente de entidades audiovisuais brasileiras. Estudou Cinema e Filosofia na Universidade de São Paulo e recebeu, em 1993, Bolsa Intercultural para Cinema e Vídeo das fundações norte-americanas Rockefeller e MacArthur. É criador e organizador da Mostra do Audiovisual Paulista (evento anual realizado desde 1987), diretor e curador do Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo e curador da Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul e da Mostra Ecofalante de Cinema.

Estêvão Ciavatta (Cineasta)

Diretor, roteirista e produtor de cinema e TV. É sócio-fundador da Pindorama Filmes. Formado em 1993 no Curso de Cinema da Universidade Federal Fluminense – RJ, tem em seu currículo a direção de algumas centenas de programas para a televisão, como os premiados “Brasil Legal”, “Central da Periferia” e “Um Pé de Quê?”, além dos filmes “Nelson Sargento no Morro da Mangueira” e “Programa Casé – o que a gente não inventa não existe”.

Petrus Cariry (Cineasta)

Nasceu em Fortaleza em 1977. Graduou-se em informática pela Faculdade Integrada do Ceará. Dirigiu alguns curtas, como Dos Restos e das Solidões (2006), Quando o Vento Sopra (2008), A Montanha Mágica (2009) e O Som do Tempo (2010). Em 2007, estreou na direção de longas com O Grão. Também assinou a direção de Mãe e Filha (2011), Clarisse ou Alguma Coisa sobre Nós Dois (2015) e O Barco (2018). Codirigiu A Jangada de Welles com Firmino Holanda.

Lírio Ferreira (Cineasta)

Nasceu em Recife em 1965. Formou-se em jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco. Dirigiu com Paulo Caldas o filme Baile Perfumado (1996), um dos filmes mais importantes da chamada retomada do cinema brasileiro. Dirigiu também Árido Movie (2005), Cartola (2007), codirigido com Hilton Lacerda, O Homem que Engarrafava Nuvens (2008), sobre o compositor Humberto Teixeira, e Sangue Azul (2014). Dirigiu Acqua Movie (2019).

Wolney Oliveira (Cineasta)

Nasceu em 1960. Formou-se em 1986 em administração de empresas e fotografia. Seu primeiro trabalho foi o documentário Um Dia de Tito (1982). Seguiram-se mais oito documentários. No Festival de Cinema de Brasília de 1999, Milagre em Juazeiro recebeu o prêmio especial do júri e o de melhor atriz coadjuvante (Marta Aurélia). Em 2019, dirigiu Soldados da Borracha.

Laura Motta (Mercado Livre)

Com 10 anos de experiência na área, Laura Motta coordena a estratégia de sustentabilidade do Mercado Livre no Brasil desde 2017. Antes atuou 7 anos com a gestão de programas de investimento social e mobilização. Com formação em Ciências Econômicas pela PUC-SP, e especialização em Advocacy e Políticas Públicas pela FGV, atualmente estuda Geografia na Universidade de São Paulo e acumula experiências ligadas a modelos socioambientais, geração de renda e inclusão produtiva em geral.

Aude Chevalier-Beaumel (Cineasta)

Nasceu na França em 1982 e estudou na Escola de Belas-Artes de Paris. Vive no Brasil desde 2007, onde realiza documentários sobre temas relacionados aos direitos humanos. Dirigiu filmes como Estrada (2010), Protégeme (2012), Rio, Ano Zero (2013) e Sexo, Pregações e Política (2016). Em 2019, codirigiu Indianara com Marcelo Barbosa.

Marcelo Barbosa (Cineasta)

Nasceu em Guaratinguetá, São Paulo, em 1970. Estudou comunicação na Universidade de Brasília. É fotógrafo e diretor de filmes experimentais. Indianara (2019) é seu primeiro longa-metragem.

Firmino Holanda (Cineasta)

Professor de Cinema da Universidade Federal do Ceará, é autor de livros como Orson Welles no Ceará e Do Sertão a Saturno – O Ceará no Cinema. Dirigiu os documentários Capistrano no Quilo (2007) e A Balada do Sr. Watson (2017). É corroteirista e co-montador dos quatro longas ficcionais dirigidos por Petrus Cariry.

Marcelo Gomes (Cineasta)

Nasceu em Pernambuco em 1963. Estudou cinema na Universidade de Bristol, na Inglaterra. Dirigiu os curtas-metragens Maracatu, Maracatus (1994) e Clandestina Felicidade (1998). Seu primeiro longa, Cinema, Aspirinas e Urubus (2005), venceu o Prêmio do Júri de Melhor Filme na 29ª Mostra Internacional de São Paulo. Também dirigiu Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo (2009), com Karim Aïnouz; Era Uma Vez Eu, Verônica (2012); O Homem das Multidões (2013), em parceria com Cao Hamburger, e Joaquim (2017). Em 2019, dirigiu Estou Me Guardando para Quando o Carnaval Chegar.