A Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental e o cineasta e fotógrafo brasileiro Jorge Bodanzky, diretor de filmes de grande importância para o cinema nacional, tais quais Iracema, Uma Transa Amazônica (1974), Jari (1979) e O Terceiro Milênio (1981), propõem este workshop de formação em cinema documentário para estudantes, jovens cineastas e os demais interessados em conhecer mais sobre a linguagem e a prática do cinema documental. Por meio desta atividade, o cineasta transmitirá aos alunos um pouco de sua experiência de quase 50 anos atuando na área. O objetivo do curso é propor exercícios teóricos e práticos de maneira a permitir uma efetiva interação entre professor e alunos, possibilitando a estes aplicar preceitos do cinema documental em projetos concretos, sob orientação de um dos mais experientes cineastas brasileiros vivos.

Leia o texto na íntegra sobre o seminário!

1º encontro

Serão realizadas análises de filmes focadas principalmente no panorama atual do documentário brasileiro e mundial; serão apresentados trechos de filmes emblemáticos do gênero, incluindo a obra do próprio Bodanzky; a turma será dividida em grupos para realização de exercícios de filmagem com câmeras de celular.

Jorge Bodanzky

Jorge Bodanzky é cineasta e fotógrafo. Estudou arquitetura na UNB e cinema na Alemanha nos anos 1960. Dirigiu clássicos como Iracema, Uma Transa Amazônica (1974), Jari (1979) e O Terceiro Milênio (1980). Também atuou como diretor de fotografia em Hitler, IIIº Mundo (José Agrippino de Paula, 1968) e O Profeta da Fome (Maurice Capovilla, 1969), entre outros. Também atua ministrando oficinas de cinema em diversos âmbitos.

2º encontro

Prosseguir-se-á com as análises de filmes e, em seguida, os trabalhos dos alunos serão projetados e discutidos.

Jorge Bodanzky

Jorge Bodanzky é cineasta e fotógrafo. Estudou arquitetura na UNB e cinema na Alemanha nos anos 1960. Dirigiu clássicos como Iracema, Uma Transa Amazônica (1974), Jari (1979) e O Terceiro Milênio (1980). Também atuou como diretor de fotografia em Hitler, IIIº Mundo (José Agrippino de Paula, 1968) e O Profeta da Fome (Maurice Capovilla, 1969), entre outros. Também atua ministrando oficinas de cinema em diversos âmbitos.